terça-feira, 22 de outubro de 2019

Com salário de R$ 2 mil, professora vira prostituta para conseguir pagar as contas

MÃE SOLTEIRA COM FILHO AUTISTA 
Thumb gatora de programa

Uma professora decidiu procurar outra opção de emprego por conta do baixo salário que recebe em uma escola da rede estadual no estado de São Paulo. Desde o ano passado a mulher se prostituí para completar a renda. As informações são do Yahoo Notícias.

"O salário do professor é uma miséria" afirma a professor de 25 anos, de dia, a jovem atua como professora, onde lida com alunos de 15 a 18 anos. Mãe solteira de um filho autista, ela tomou a decisão de virar garota de programa após receber o salário em um mês do ano passado e ver que não conseguiria pagar todas as contas.

“Não tive medo nem pudor de ser prostituta. Se professor é profissão, por que puta não pode ser?”, disse, em reportagem especial do site Yahoo Notícias. 

Desde então, ela termina o expediente de docente, vai para casa, toma um banho, se arruma, coloca um perfume que lhe dá um cheiro próprio (como espécie de identidade) e vai para o ponto na Rua Augusta, no centro da capital paulista.

Segundo a professora, o salário é muito baixo, ela relata que ganha aproximadamente R$ 2 mil por mês. "Não consigo manter a família. Sou mãe solteira com um filho autista, de seis anos. Tenho que pagar escola, plano de saúde e as contas da casa".