segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Ninhos de tartaruga no litoral são protegidos


Os trabalhos de Pesquisa e manejo de desova realizado pelo Instituto Tartarugas do Delta através do projeto Rotas da Conservação vêm garantindo a proteção dos ninhos e das praias de desovas no litoral piauiense. Atualmente foram registrados 70 ninhos no litoral que precisam ser protegidos.


Durante o monitoramento de desova a equipe registra o comportamento reprodutivo, observando: A) subida da fêmea, escolha da praia para desovar; B) confecção da cama, animal fica camuflado; C) confecção da cova (ninho); D) liberação dos ovos na cova; E) fechando o ninho e finaliza com F) retorno da fêmea para o mar. Após um período médio de 60 dias, os filhotes nascerão!
No ultimo dia (15), durante monitoramento de praia, a equipe registrou 5 fêmeas visitando nossas praias, destas duas receberam uma marcação com anilhas metálicas e demais fêmeas, tinham marcadas de anos anteriores.


As principais praias de desovas no município de Luís Correia estão instaladas no trecho de praias situado no Barro Preto, Coqueiro, Arrombado até a praia do Maramar. Nosso maior desafio é o tráfego de veículos automotores nestas praias, principalmente no período de grande fluxo turístico (feriados prolongados) na região.
No Piauí o Instituto Tartarugas do Delta conta com o apoio da regional do ICMbio (CR5), APA Delta do Parnaíba, SEMAR, prefeitura de Luís Correia e o Policiamento Turístico – CIPTUR nas operações de fiscalização e planejamento estratégico nas ações de conservação.


Projeto Rotas da Conservação é financiado pela Shell Brasil com recursos da cláusula de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (Cláusula de PD&I) dos contratos de concessão da Agência Nacional do Petróleo (ANP).


Jornal da Parnaíba