domingo, 22 de março de 2020

Sem EPis, servidores fazem campanha para produzir máscaras em hospital de Parnaíba

Com ajuda de estudantes do curso de Medicina, eles levantaram uma campanha nas redes sociais para arrecadar e confeccionar alguns dos equipamentos de proteção.

Hospital Dirceu Arcoverde, em Parnaíba. Foto: Extra Parnaíba.

Falta de máscaras e aventais para atender pacientes com sintomas do novo coronavírus. Esses são alguns dos Equipamentos de Proteção Individuais (EPis) que os profissionais de saúde do Hospital Dirceu Arcoverde, em Parnaíba, no litoral do Piauí, informaram estarem escassos na unidade hospitalar. Com ajuda de estudantes do curso de Medicina da Universidade Federal do Delta do Parnaíba, eles levantaram uma campanha nas redes sociais para arrecadar e confeccionar alguns dos equipamentos de proteção.


Na postagem que circula nas redes sociais, os profissionais afirmam que estão recolhendo TNT para confeccionarem máscaras e aventais. A ajuda de costureiras ou máquinas de costura também foram solicitados.
Arte Divulgada nas redes sociais. Foto: Reprodução Internet.

“A gente tem passado uma dificuldade grande relacionada ao enfrentamento do coronavírus. Uma das grandes dificuldades é a questão do EPis. Infelizmente, nós não temos disponíveis em quantidades suficientes. Não é que os órgãos públicos não queiram comprar, mas hoje em dia não tem disponibilidade para se comprar por mais que tenha dinheiro. Por isso, a gente viu na fabricação artesanal uma possibilidade”, disse a medica infectologista Renata Beltrão em um vídeo nas redes sociais.

Renata conta que foram os alunos do curso de Medicina da Universidade Federal do Delta do Parnaíba que tiveram a ideia. Segundo ela, os materiais foram comprados o que falta agora é a mão de obra.

“Compramos o material da máscara e do avental. Estamos tendo dificuldade na costura. Então quem souber costurar, ajuda na costura do TNT. A campanha também está arrecadando o material”, conta.

Uma das organizadoras da campanha, a estudante de Medicina Alba Angélica, disse que uma fábrica de álcool em gel se disponibilizou em colaborar com a doação do produto. Ela reforçou que as pessoas podem doar garrafas de plásticos para que o produto seja distribuído em outros hospitais.

“As pessoas podem doar garrafas pets e galões para que tenhamos acesso ao produto e depois poder distribui-lo em outras unidades que a gente sabe que não podem ficar paradas”, cota.

Alba disse ainda que pessoas que estão fora de Parnaíba também podem ajudar na campanha. A conta de n° 21195-8, agência 532-0 e titularidade Laisa Aguiar Paiva, está recebendo doações em dinheiro para compra dos materiais de produção das máscaras e aventais.

“Vai chegar um momento em que os equipamentos vão acabar. Então a ideia também é fazer com que os profissionais de outras cidades usem a mesma medida”, finalizou.

A reportagem entrou em contato com Secretaria de Saúde do Piauí para falar sobre o caso, mas ainda não obteve retorno. O espaço permanece aberto para esclarecimentos.


Por: Jorge Machado