quinta-feira, 2 de abril de 2020

Mastruz pode aliviar sintomas de doenças respiratórias; saiba mais


Foto: Pixarbay
Foto: Pixarbay
As propriedades anti-inflamatórias, vermífugas, expectorantes, cicatrizantes, sedativas, antifúngicas e antivirais do Mastruz o tornam um poderoso aliado no combate de várias doenças, em especial a parasitas e vermes que atacam o sistema digestivo. É conhecida pelos astecas como “erva santa”e chamada também de erva de Santa Maria, ambrósia, lombrigueira e quenopódio. Seu nome científico é Chenopodium ambrosioides.
Composto de grandes quantias de cálcio, fósforo, ferro, potássio, zinco e vitaminas de complexo A, B e C, o Mastruz reduz os efeitos da prisão de ventre, amenorreia, cólicas estomacais e flatulências. Além disso, é eficiente na recuperação de feridas e coceiras. O mastruz também costuma ser um eficiente auxiliar no tratamento de malária, doença endêmica no Amazonas.
Para quem tem problemas respiratórios, é fumante ou sofre de asma, congestão nasal ou bronquite, o Mastruz favorece a expulsão da secreção de muco e catarro, facilitando o funcionamento do sistema respiratório. Há indicações, inclusive, para o tratamento de doenças crônicas, osteoporose, anemia e Mal de Alzheimer.
Pode ser consumido como chá ou vitamina, tanto as folhas como as flores. Para fazer o chá, basta levar ao fogo um litro de água com 3 ramos de mastruz. Deixe ferver e então abafe. Para preparar a vitamina, bata no liquidificador um litro de leite, 3 ramos da planta e açúcar a gosto.