quinta-feira, 11 de junho de 2020

Empresário é suspeito de torturar e matar mãe e filha no Maranhão

Suspeito está sendo procurado desde o dia do duplo crime. A perícia encontrou vestígios de luta corporal, tortura e estrangulamento das vítimas.



A Polícia Civil do Maranhão já dá como foragido o empresário Geraldo Abade Sooza, principal suspeito de ter assassinado a esposa Graça Maria Pereira de Oliveira, 54 anos, e a lha dela Talita Friseiro de Oliveira, de 25, na manhã de domingo, 7, no Bairro Quintas do Calhau, em São Luís. A informação foi conrmada na tarde desta quarta-feira, 10, pela própria Secretaria da Segurança Pública. As informações são do Blog do Gilberto Lima.


Empresário do ramo de locação de containers, Geraldo Sooza está sendo procurado pela polícia desde o dia do duplo crime. De acordo com perícias do Instituto de Criminalística e autópsia realizada no Insituto Médico Legal, Talita sofreu traumatismo craniano, em virtude de fortes pancadas na cabeça, enquanto Graça Oliveira foi morta por estrangulamento. As duas foram encontradas já sem vida e enroladas em um lençol, dentro de um dos carros que estavam na garagem da residência das vítimas. 


Graça Oliveira, que integrava o “Grupo das Déboras”, da IEQ/Península (Igreja do Evangelho Quadrangular da Península), tinha uma ação na Justiça contra o exmarido, supostamente por causa da casa onde eles moraram, um imóvel de elevado valor, com piscina. O processo é dado como possível motivação do crime.


A perícia na cena do crime encontrou vestígios de luta corporal, tortura e estrangulamento das vítimas. 

A delegada do Departamento de Feminicídio do Maranhão, Viviane Fontenelle, relatou que Talita, possivelmente, travou uma intensa luta corporal com o agressor, pois apresentava três unhas quebradas. Ela foi encontrada no banco da frente do veículo, enquanto a mãe estava na parte traseira do carro, ambas amordaçadas