domingo, 7 de junho de 2020

Justiça nega liberdade a acusada de matar jovem na Lagoa do Portinho

O relator da decisão foi o desembargador José Francisco do Nascimento. Nos autos foi destacado que mesmo a acusada tendo bons antecedentes, a Justiça não é obrigada a lhe conceder liberdade.

Gilmara Veras de Araújo, vítima morta a facadas - Foto: arquivo pessoal

A 1ª Câmara Especializada do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) negou o pedido de habeas corpus feito pela defesa de Bruna Vasconcelos Carvalho, acusada de assassinar Gilmara Veras de Araújo a facadas na Lagoa de Portinho, localizada no município de Parnaíba em julho de 2019. A decisão foi publicada na quarta-feira, 4 de junho no Diário Oficial.


O relator da decisão foi o desembargador José Francisco do Nascimento. Nos autos foi destacado que mesmo a acusada sendo primária, tendo bons antecedentes, residência fixa e ocupação lícita, não obriga a Justiça conceder liberdade caso tenha necessidade que sua prisão seja mantida.
Bruna Vasconcelos Carvalho, acusada


Matérias relacionadas: