domingo, 5 de julho de 2020

Após 32 dias de luta pela vida, primeira paciente extubada Covid-19 em Parnaíba recebe alta médica no Hospital de Campanha


Muitos dias de luta pela vida nas UTI’s de Parnaíba. A paciente Maria de Jesus Sousa Diniz, de 56 anos, ficou internada treze dias no Hospital Estadual Dirceu Arcoverde (HEDA), de onde foi transferida para o Hospital de Campanha de Parnaíba, Nossa Senhora de Fátima. Ela foi a primeira paciente em tratamento Covid-19 a ser extubada no município, em exitoso procedimento realizado no centro de saúde reformado e estruturado pelo Prefeito Francisco de Assis Moraes Souza para atendimento a casos intermediários e graves do novo coronavírus. Neste sábado, 4 de julho, Maria de Jesus Souza Diniz recebeu alta médica e foi para casa na companha de familiares.


A recuperação de Maria de Jesus Souza Diniz foi uma das mais comemoradas por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e demais servidores, já que ela passou dezenove dias internadas no Hospital de Campanha de Parnaíba. Ao todo, a paciente venceu uma batalha contra o vírus por quase cinco semanas, a maioria do tempo em leito de UTI sob cuidados da competente e dedicada equipe do Hospital Nossa Senhora de Fátima. A Diretora Clínica do Hospital de Campanha de Parnaíba, Daniela Machado Bezerra, destaca que a extubação e a recuperação da paciente Maria de Jesus Souza Diniz foram vitórias de todos os servidores no Nossa Senhora de Fátima que se empenharam no tratamento da paciente, com muita dedicação e empenho diários.

A Prefeitura de Parnaíba tem investido milhões de reais em ações de enfrentamento à Covid-19, no fortalecimento das UBS’s, no reforço da compra de EPI’s, na ampliação das testagens em massa nos bairros, na desinfecção e sanitização de espaços públicos e de aglomeração no município, na convocação de concursados da saúde, na adequação do Pronto Socorro ao atendimento casos suspeitos Covid-19, e no acompanhamento médico, psicológico e de assistência social, com entrega de medicamentos, a todos os casos confirmados de coronavírus.


Por Ribamar Aragão
Ascom